Remédio Para Emagrecer

Qual Remédio Para Emagrecer?

Todos aqueles que querem emagrecer sonham com uma forma de fazer isso acontecer de forma rápida, indolor e de preferência com saúde. Entretanto, em regra não é fácil perder peso de maneira super rápida e ao mesmo tempo saudável.

O mais correto a se fazer é unir essas três coisas: buscar ajuda medicinal, ter uma alimentação moderada e fazer exercícios físicos.

Se voce quiser saber como perder barriga e peso de uma forma menos demorada, é preciso que você também cuide de sua saúde. Sendo assim não existem fórmulas milagrosas e instantâneas. O fato é que para emagrecer da forma correta, é necessária muita força de vontade, persistência, autocontrole, dedicação e boa orientação.

Os remédios para emagrecimento prometem reduzir o apetite, acelerar a queima de gordura e, desta forma provocar o emagrecimento. Se você busca perder uns quilinhos remédio para emagrecerutilizando remédios para emagrecer é importante que você corra atrás de informações sobre os chamados “inibidores de apetite”, desta forma você entenderá sobre a eficácia dos mesmos e vai entender como se dá sua ação.

Eles são conhecidos como “moderadores de apetite”, “inibidores de apetite” ou ainda por “bloqueadores de gordura”. Em regra esses medicamentos, reduzem o apetite da pessoa e produz a sensação de satisfação, como se você já tivesse comido o bastante. Isso ocorre por meio da elevação dos níveis de elementos químicos do cérebro que são os responsáveis por afetar o nosso apetite e o nosso humor. Esses elementos são chamados catecolamina e serotonina.

Em grande parte dos casos, os medicamentos usados para o emagrecimento de forma mais acelerada são recomendados e prescritos por médicos, principalmente quando se trata de casos de obesidade mórbida, uma vez que nesses casos todas as outras formas de emagrecimento já foram testadas, mas não obtiveram nenhum efeito.

Uma coisa importante a ser ressaltada é que não são todas as pessoas que podem sujeitar-se a emagrecer com a ajuda de remédios para emagrecimento, pois esses medicamentos contêm em sua composição algumas substâncias químicas muito fortes, sendo algumas delas nocivas nos casos de doenças preexistentes. Por esse motivo, é muito importante que antes de começar todo e qualquer tipo de emagrecimento a base de remédios é preciso que você procure um médico e um nutricionista para uma orientação especializada e direcionada ao seu problema.

A grande maioria dos bloqueadores de apetite têm o aval da FDA (US Food and Drug Administration), equivalente de certa forma à ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no Brasil, para que sejam utilizados em um prazo pequeno, de alguns meses ou semanas. O uso prolongado desses remédios é recomendado apenas naqueles casos de pessoas que se encaixam num quadro de obesidade excessiva, deixando frisado que não há garantias de eficácia e segurança para a saúde quando usados por prazos mais longos.

Um dos remédios para emagrecer mais conhecidos é o Sibutramina. O uso da sibutramina no Brasil tem sido de certa forma polêmico porque o consumo dessa substância chegou a ser proibido no país pois embora o remédio devesse ser vendido com uma tarja vermelha na embalagem, e com a apresentação de receita médica, ele acabava sendo consumido de forma indiscriminada, e vendido mesmo sem a exigência de apresentação de receita, o que era ilegal.

Atualmente tal proibição já não existe mais, uma vez que não havia agradado os endocrinologistas que viam na sibutramina uma aliada. Assim, a venda da Sibutramina voltou a ser legalizada, entretanto com muitas restrições, como a necessidade do paciente assinar um termo de responsabilidade juntamente com o médico, o qual menciona os efeitos colaterais que já foram comprovados e eventuais danos à saúde que o remédio pode causar.

Em resumo, os remédios para emagrecer de forma rápida devem ser considerados como uma boa alternativa para aquelas pessoas que sofram de obesidade excessiva, já que em alguns casos, se revela a única solução para o caso. Entretanto, é necessário sempre ressaltar que antes de começar qualquer tratamento é preciso que a pessoa faça exames e tenha orientação médica, não apenas para descobrir qual o melhor remédio, mas para saber também qual seria a dosagem e a duração do tratamento, evitando que futuramente tenha problemas provocados por um mal uso do medicamento.